terça-feira, 5 de maio de 2009

Fundamental é mesmo o amor...


é impossível ser feliz sozinho... Reparei nas últimas semanas vários posts, comentários e até dialógos do cotidiano sobre ser solteira, se existe uma obrigatoriedade em estar unida a alguem, se é realmente impossível ser feliz sozinha como disse Tom Jobim em Wave, e até um livro que vi "Melhor mal acompanhada, que solteira".

Acho que cada um sabe o ponto que dói em si. Particularmente, não gosto e nem estou acostumada a ficar solteira, apesar de amar minha companhia e adorar fazer as coisas pra mim mesma, não sou baladeira ou do tipo que sai pra paquerar e azarar, ser cantada e azarada pela torcida do corinthians. Sou para viver em par, uma companheira mesmo, até "careta" pra alguns, mas adoro cinema, teatro, sair pra jantar ou simplesmente cozinhar e deitar na cama pra ver aquele bom filme embaixo do edredom, devidamente acompanhada.

Tem gente que não suporta essa idéia, de dar satisfações, não abre mão das baladas, que não gosta de cozinhar, de mostrar seus dotes de boa menina, não tem saco de conquistar a sogra, nem de ser patricinha e deixar de comprar pra si pra presentea-lo, mesmo sem motivo.

No meu caso, não teria como viver satisfatoriamente sozinha. Prefiro perdoar, relevar, aceitar os erros, os defeitos, entender e superar, do que remoer, orgulhar, prepotentear, me superiorizar, pois acho que sentimentos assim, só nos afastam das pessoas e quando chegar aos 40 e olhar pra trás, pensar no que poderia ter sido "e se..." Não, definitivamente não quero ter o "e se" na minha vida.

Certa vez ouvi e nunca mais esqueci, que não se deve amar pelas qualidades, pelas coisas boas, e pelos bons momentos, mas sim "apesar de", se vc amar alguém apesar dele ser teimoso, apesar dele ser preguiçoso, apesar dele não se abrir, apesar dele ter feito coisas erradas no passado e ter se arrependido delas, apesar de... certamente você está num caminho próspero.



Ter ou não ter namorado, eis a questão

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão, é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil.

Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.

Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar. Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário.

Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d'água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.

Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.

Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.

Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim.
Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.

Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido. ENLOU-CRESÇA.


Artur da Távola

12 comentários:

Luh disse...

Olha, não sou do tipo baladeira tbem, adoro dormir abraçada... tomar chocolate quente e ver um filminho. Sou romântica até. Acho que amor é essencial sim, mas um amor correspondido, um amor que me faça bem, que me faça sorrir, dar gargalhadas por nada. Um amor que fique comigo calado, de mãos dadas, quando eu não estiver bem mas não quiser conversar. O problema é que o que eu vejo na maioria dos relacionamentos de hoje é que as pessoas estão sozinhas namorando/noivando/casando. Um não compreende o outro, um não acrescenta o outro. E sinceramente? Enquando não achar uma pessoa que faça meus olhos brilhar, até ficar burra de amor, prefiro ficar sozinha. Acho que tem que haver AMOR de verdade, sinceridade, companheirismo e não esses relacionamento egoístas que estão por aí. Como diz Marisa Monte ..."quem foi que disse, que é impossível ser feliz sozinho. Vivo tranquilo, a felicidade que me faz carinho. No meu caminho, vivo serena e acordo com o pranto dos passarinhos."
Ah.. tava esquecendo, o texto do Artur da Távola é MARAVILHOSO.

beijinhos.

Laura disse...

Amei Sarah!

Eu sou do tipo que adora estar namorando e tb adora estar solteira, inverno e verão, tudo me é interessante. Antigamente eu não sabia aproveitar...quando era verão eu reclamava que não era inverno. Hoje eu sei aproveitar bem as estações da minha vida...e não sinto falta da outra. Nesse momento quero que meu inverno (ou meu verão) seja infinito, mas se não for, a próxima estação me aguarda com todas as coisas maravilhosas que ela tem. Beijão!

Crisenta disse...

Eu sempre tive varios rolos durante a minha vida uns mais serios que outros, que poderia ter se transformado em namoro. Mais por enguanto sempre que ponho na balança prefiro minha vida de solteira. Ao contrario de vc sou do tipo baladeira, tenho muitos amigo, gosto de sair com ele! Mais tbm sei me divertir sozinha tbm qdo preciso... Nao importo de ficar algum tempo sem homem na minha vida e por isso ainda nao considerei si sou uma pessoa tolerante ou nao... Acho que ainda nao achei por quem valesse a pena eu abrir mão (de certa forma) da minha liberdade e estar somente com aquela pessoa. É complicado mais acho que ainda sou egoista de mais pra entrar em um relaicionamento e por isso estar solteira e melhor pra mim no momento.
Beijos

Nanda disse...

estou com a crissenta,menos na parte de ser baladeira.eu sou mais programinhas calmos.mas a ideia de ser " presa" a uma só pessoa,me apavora.tb não sei se isso é porque quem eu realmente quis,não me deu bola,ou se esse é meu instinto mesmo,mas sei lá,eu pelo menos não me vejo namorando.claro que as vezes quando estou me sentindo sozinha,e vejo um casalsinho feliz,fico pensando: poxa,estou sozinha sem ninguém...
e dias dos namorados então...nem se fala.
até porque ,eu nunca namorei pra sentir falta.eu acredito que se você está com a pessoa que você ama,deve ser legal.ainda mais a parte em que você falou,ver um filminho com a pessoa do lado,cozinhar pra ele...enfim,deve ser muito bom.
mas eu por enquanto,nem quero pensar nisso kkkkkkkkkkk

e esse texto do Artur da Távola, é liiiiiiiiiindo!!!!!^^

bjs

Agrilla Van de Kamp disse...

pra mim, a vida é feita de fases. eu já tive a fase baladeira, rueira, e tudo mais... agora estou namorando, na boa, o meu maior problema é que meu namorado é mt diferente de mim, nao curte tanto cinema como eu e etc... mas a gente se da bem na medida do possivel... mas lidar com a familia alheia é complicado, mas aos poucos da certo. o negócio é ser feliz sempre...

Sarah disse...

Luh!
com certeza, amor tem q ser correspondido, nao pode ser unilateral, fico triste qdo vejo casais juntos q mal falam ou q nem um carinho fazem.
........................
Laura!
isso q é importante, estar bem no inverno ou no verao rs, saber curtir cada uma das etapas. Eu ja vi q solteirisse nao me agrada mto e to feliz namorando!
......................
Crisenta e Nanda!
O importante é a gente se conhecer e viver bem com as nossas escolhas ne? Sucesso!
......................
Agrilla!
Por sorte eu e meu namo somos bem parecidos, gostamos d qse tdo igual e a familia dele me ama e vice versa, mas imagino o quao complicado seja ter oposiçoes rs.
Bjs e boa sorte!

Adrielly Soares disse...

eu prefiro com.
0/

Paulo Tamburro disse...

Olha você está com um problema crucial:ter ou não ter um namorado.

O meu é :Comprar ou não comprar uma Ferrari Testarossa Vermelha.(rsrs)

A do outro pode ser:Emagrecer dois ou dez quilos?

Enfim, nós só estaremosvivos enquanto tivermos estes saudáveis problemas para resover.

Podes cre!!!

Serei seu seguidor!

eufalonalata disse...

Olha

Eu sou solteira e posso dizer que amo minha solteirice. Só que lógico tem dias que bate a carencia, ai é foda.
Mas é muito bom sair pras baladas solteira, e como é.

bjs

Cansada de ser boazinha disse...

Sou como vc, mas não tenho facilidade de achar alguém legal. Não acho certo ficar com alguém que eu relamente não esteja apaixonada só pra não ficar sozinha. Eu quero amar alguém e isso é muito mais que namorar...
Bjos! Obrigada pelas visitas no blog!

Patricia disse...

eu já namorei sério uns 3 anos, aí acabou, virei baladeira, hoje sou mais tranquila, estou enrolada, vou e me desenrolo, acho que todos temos o nosso ritmo. eu sou feliz sozinha, mas saio, me divirto, conheço gente, faço amigos, conto histórias, passo perrengue e tenho fé lol de que algum dia eu encontro alguém que decida me acompanhar nessa louca vida. e só. é só o que eu penso, nada de me martirizar, de fazer drama, de reclamar da vida, de chorar e espenear porque se está só, até mesmo porque está difícil encontrar o príncipe ou o que se salve na multidão.

e esse texto do artur da távola me revolta um pouquinho, porque nem todo mundo está solteiro porque quer né? acho meio nada a ver, apesar de muito bem escrito.

beijo*

Andreia disse...

Bem, eu amei esse texto!
É lindo e explora todos os aspetos que são, para mim, ter namorado.
Aliás, confesso que ao ler o texto, fui soltando umas gargalhadas ao me deparar com certos aspetos que eu pensava serem meio bobos rsrs.
Amei, completamente!
Também devo confessar que namorado é uma das "coisas" que me faz mais falta. De qualquer forma, é impensável ter um nesta fase da minha vida.
Daqui a uns anos, estarei pronta para me entregar à maravilha que namorar. Até lá, vou vivendo comigo mesma.

Beijos :*

Related Posts with Thumbnails